Logo-2017

3

Primavera chegando - e um jeito muito prático de comer salada.

05/09/2014 - 3 Comentários - Receitas | Abacate, Cenoura, Culinária oriental, Ervilha, Gergelim, Óleo de oliva, Pimenta, Repolho, Salada, Salsa

Me chamem de clichê, me chamem de adolescentinha, mas gosto demais de quando chega a primavera.
Eu sei, geralmente se associa primavera = o momento em que as flores e borboletinhas aparecem por todos os lados, como nos livros do José de Alencar; eu penso mais que as árvores de fruta começam a ficar carregadas, que as verduras ficam mais viçosas que nunca, que é quando tem dias de sol intenso com vento fresco - o clima mais agradável do mundo.
E, pelo menos pra mim, com a mudança de estação parece que vem um clima meio de ano novo, talvez porque meu aniversário é por essa época. Ou só porque é o anúncio de que em poucos meses acaba o ano mesmo.
De qualquer forma, se formos nos concentrar no quesito "verduras lindas" acabamos caindo no post de hoje, que é um jeito muito prático de comer salada.

Gosto de preparar estes rolinhos de papel de arroz recheados com salada quando a família se reúne na casa da minha mãe no verão. Lá, às vezes, a gente não faz almoços sérios, no horário, com todo mundo sentado à mesa.
Às vezes a mesa fica posta e vai saindo um prato, vai saindo outro, os pequenos correm atrás dos bichos ou fazem "projetos de ciência", os grandes lêem, ficam na rede, cozinham, desenham, montam alguma engenhoca ou aeromodelo, cuidam da trilha sonora, por aí vai.
E enfim, gosto muito da idéia de poder comer salada civilizadamente com uma mão só. Algo que - convenhamos - não é exatamente possível com saladas no formato comum. Ainda mais se estiverem com molho.Dá pra rechear os rolinhos, como os orientais, com verdura refogada quentinha. Às vezes faço assim também, mas o que estou mostrando hoje é com salada fresca.
Na verdade, rolinho primavera tradicional é frito - eu prefiro essa versão crua mesmo, onde o papel serve apenas para segurar tudo no lugar.
Pra quem não conhece o papel de arroz, lhes apresento: é uma massa extremamente fina, feita apenas com arroz e água (tenho uma curiosidade enorme de saber como é o processo de fazê-lo). Antes de usar, a gente deixa cada folha imersa na água por alguns segundos para que amoleça, tira da água com cuidado para não rasgar, e faz as trouxinhas.

Mas não fique triste, se você estiver com preguiça de ir às compras ou se realmente não tiver por perto um lugar onde possa comprar produtos orientais. Recentemente li um livro delicioso (recomendação da Flávia), que chama Cozinhando sem desperdício, e lá tem uma receita de massa para você fazer seu próprio rolinho primavera.
No livro, diz assim: pra misturar 2 xícaras de farinha de trigo com 1 colher de chá de sal e água filtrada o quanto baste para obter uma massa lisa e homogênea, em torno de 1 xícara. O que não diz é que queremos uma massa fininha, meio líquida, para que os discos de massa fiquem muito finos - veja a consistência na foto. A massa deve descansar na geladeira por, pelo menos, 30 minutos.
(Medidas aqui).
Estas quantidades devem render 8 unidades, fiz 1/4 da receita e consegui 3 unidades.
Preparei a massa direto em uma jarrinha, em vez de uma tigela, para facilitar depois o processo de fritar.

Depois que a massa tinha descansado na geladeira, untei uma frigideira antiaderente grande com óleo enquanto ainda estava fria (passei pouquinho mesmo com papel toalha, como faria com uma forma de bolo) e levei ao fogo alto para aquecer.
Assim que a frigideira ficou bem quente, despejei uma porção da massa suficiente para cobrir o fundo dela com uma camada fina (a idéia é formar um disco de mais ou menos 22cm de diâmetro), baixei o fogo para que a massa cozinhasse sem queimar a superfície.
Assim que o disco descolou da frigideira, virei com a ajuda de uma espátula e deixei tostar um pouquinho o lado que estava para cima. Coloquei em um prato (nem precisa cobrir o disco de massa, pois ele não precisa estar aquecido para fazer os rolinhos) e segui com o restante da massa.
Ok, as duas opções de massa estava prontas.

Para começar, escolhi a salada que ia querer. Pode ser apenas uma salada que esteja pronta e à mão, ou pode ser algo escolhido especialmente para os rolinhos.
Aqui, em cada rolinho coloquei folhas de rúcula, ervilha torta, repolho roxo cortado fininho, cenoura em palitinhos finos, salsinha e abacate. Temperei com azeite de oliva, sal e pimenta caiena em pó. Em alguns, lembrei de pôr gergelim tostado também.

Se preferir, faça uma tigela grande de salada e misture bem com o molho, depois transfira punhados dessa salada para os discos de massa.
Só lembre de não rechear em excesso, se não a massa rasga e vira uma confusão.
Trabalhando com o papel de arroz, é legal fazer uma "linha de produção": coloquei uma folha para hidratar por alguns segundos, até que não estivesse mais rígida (na foto de cima, tem uma folha dentro do prato com água). Tirei esta folha de papel de arroz com cuidado, apoiei esticadinha em uma tábua sobre um guardanapo de tecido (que vai absorver o excesso de água). Nesse momento, coloquei outra folha dentro da água para que ela hidratasse enquanto eu recheava a primeira.
É assim: coloco o recheio meio para baixo na folha, mas não muito perto da borda, e centralizado em relação aos lados. Dobro uma aba por cima do recheio usando a borda mais de baixo.

Depois, dobro abas com as duas laterais sobre o recheio. A folha de papel arroz hidratada fica um pouco grudenta, então tudo vai se manter no lugar que é uma maravilha. Ta vendo que fica parecendo um envelopinho?

Daí, pego o rolinho pelo recheio e enrolo para cima até fechar a aba superior:

Capisce? Vou repetir o processo com a massa de trigo agora, vai ficar bem mais fácil de enxergar.
E sim, eu tinha dado uma mordida na massa porque queria experimentar... hahaha mas relaxem, só faço essas coisas quando vou comer sozinha.

Acho sensacional fazer esse rolinhos pra levar na marmita do trabalho, em viagens de carro, em picnics... só precisa se certificar de que eles não fiquem se encostando dentro da embalagem, pois se isso acontecer eles grudam. Uma idéia boa é colocar papel manteiga entre um rolo e outro.

Pra fazer com o que estiver à mão, sugiro combinar os ingredientes da seguinte maneira:
- um ou dois tipos de folha macia (rúcula, alface)
- umas duas ou três verduras crocantes (acelga crua, endívia, ervilha torta, cenoura, repolho, pimentão, pepino)
- erva fresca (coentro, salsinha, tomilho, manjericão, cebolinha)
- uma fruta (manga, morango, abacate, carambola)
- uma semente tostada (gergelim, amendoim em pedaços, amêndoas em lascas)

Para temperar, acho muito gostoso pôr molhos com gosto bem fresco. Uma pimentinha sempre ajuda nesse quesito, se combinada a algum sabor cítrico, por exemplo raspas de casca de limão, sumo de limão. Também incluir algum óleo no molho torna tudo mais saboroso: azeite de oliva, óleo de gergelim, tahine.

O que vocês acham dessa versão de salada? Contem nos comentários!

12/12/2014 17:57:07

ana

Comentário
Oi. Eu procurei essas folinhas de arroz em uns cinco mercados e não encontrei. Você sabe onde vende em SC? Obrigadinha.

Resposta da Flora
Oi Ana, tudo bom? Dei uma pesquisada aqui e, pelo menos na internet não tá muito fácil de achar mesmo. Tem uma importadora em BC que vende o papel de arroz, e parece que dá pra comprar pelo site. É www.sushihousesc.com.br Deve ter em outros lugares, mas só encontrei esse... Uma idéia legal é você perguntar quando for a um restaurante chinês ou japonês na sua cidade. Provavelmente vão poder te indicar outras opções. Se descobrir, conta aqui. Talvez seja útil pra outros leitores também. Obrigada pelo comentário. Um beijo!

17/09/2014 17:50:14

Comentário
Flora, que liiindo isso! Nunca vi, nem comi, nem ouvi falar desse papel de arroz, é bão? Eu faço algo parecido com a massa da dosa, conhece? É uma massa de arroz e um pouquinho de lentilha fermentados delícia. Quando viajo (e quando não despacho com a mala), a dosa com salada resolve bem minhas refeições no vai e vem, até porque é muito caro comer em aeroporto. E as fotos? Tudo lindo... aquele pacotinho de farinha de trigo me lembrou a cozinha do restaurante da dona Florinda hahaha. Brigada opor compartilhar, beijo!

Resposta da Flora
Mmm Jo, não conheço dosa e já fiquei toda curiosa. Já fica aí mais um opção de "embrulho" pra fazer trouxinhas de salada. Vou procurar saber mais. O papel de arroz é um pouquinho gelatinoso depois de hidratar, e meio que não tem gosto... é bem diferente de qualquer outra coisa que eu conhecesse antes. Essas idéias de "lancheira de adulto", como disse a Ju, quebram um belo galho em aeroporto. Realmente, lá sai uma fortuna comer coisas que nem são gostosas e nem boas pro corpo. E achei graça do restaurante da Dona Florinda. Tem um bocado de gente que me chama com o nome dela. hehehe Beijoca!

12/09/2014 18:48:57

Juliana Valentini

Comentário
A D O R E I! É super prático e um charme, principalmente o de papel de arroz. Eu tava mesmo precisando de uma ideia nova pra "lancheira" de adulto, pra comer na mata enquanto a gente tá plantando. Enjoei um pouco de pão, sabe? Qualquer coisa enjoa quando a gente faz muito… Vou procurar o papel de arroz por aqui. Obrigada pelas dicas! Beijo!

Resposta da Flora
Se a gente caprichar na organização e nas folhinhas de ervas, fica até meio elegante, né Ju? E viva as marmitas variadas :) Beijo!

Deixar um Comentário